Lasanha de Abóbora e Espinafre

Há algum tempo, recebi uma caixa da Vegus Orgánico, uma empresa de produtos orgânicos daqui do Chile. Havia uma grande variedade de vegetais orgânicos e todos muito frescos: alfaces, rúcula, tomates cereja, ciboulette, abóbora butternut… enfim, um montão de coisas gostosas e saudáveis.

Acabamos fazendo várias saladas e deixei a abóbora para esta receita especial que já fazia tempo que eu queria provar. A verdade é que acabou ficando uma delícia e perfeita pro outono que já chegou a Santiago.

Mas mais que falar da receita, quero aproveitar o gancho de tantas coisas saudáveis e falar de comida. Comida de verdade.

Com você já deve saber a essa altura, eu não tenho nenhuma restrição alimentar. Só tenho intolerância ao abacaxi, mas não vou morrer se comer. Todos os meus exames médicos estão bons e, portanto, não tenho nenhuma indicação médica para evitar qualquer comida.

Eu não sou vegana nem vegetariana e como praticamente tudo, incluindo aí lactose, glúten, carboidratos, açúcar e todos os tipos de comidas ruins, proibidas, perigosas e prejudiciais – e o que mais as pessoas inventem de chamar determinadas comidas.

O único tipo de comida que eu evito é comida muito processada (ou ultraprocessada), ou seja, comida com químicos e ingredientes artificiais para conservar, dar textura ou agregar sabor ou aroma. Nesse grupo estão, por exemplo, caldos prontos, molhos e sopas em pó, comida congelada industrializada e outras coisas.

Fora isso, eu como de tudo. E não sinto culpa nem vergonha.

Minhas regras de alimentação são basicamente baseadas no que minha mãe e minhas avós cozinhavam. Comida de verdade. Uma mesa onde você sempre encontra vegetais. Onde elas sabiam quais os ingredientes usados e como foram feitos. Onde as porções eram balanceadas e os pratos tinha as vitaminas que a gente precisava pra crescer forte e saudável. Onde a comida não era um monstro e cada mordida era aproveitada ao máximo. E onde a sobremesa era feita em casa e celebrada!

Eu respeito as opiniões de cada um sobre comida, ainda que questione um pouco quando se começa a demonizar algum ingrediente… mas aqui você vai mesmo encontrar receitas com ingredientes naturais e os processos para cozinhar suas próprias refeições. Sem restrições.

Um exemplo? O molho branco da receita de hoje. Eu poderia perfeitamente ter comprado a versão em pó e, com leite e água, estaria pronta em 3 minutos. A minha leva um pouco mais de tempo… mas só tem manteiga, farinha, leite, sal, pimenta e noz moscada – e amor. A outra, quase pronta, tem lite, farinha, sal, óleo de palma e uma tonelada de coisas estranhas que eu nem saberia traduzir, tipo gelato de propilo, palmitato de ascorbilo, almidón de papa, glutamato monosódico, inosinato de sodio… Essas coisas, pra mim, nem comida são.

Então, minha filosofia é: conhecer o que estou comendo e os efeitos no meu corpo. Tentar equilibrar as refeições. Comer vegetais. Não tratar a comida como inimiga. Escolher alimentos frescos e da temporada. Comer orgânico, sempre que possível. Conhecer cada ingrediente e como cozinhá-lo. E, mais que tudo, aproveitar as refeições e os momentos preciosos que passamos ao redor da mesa. Sem culpas, sem traumas e sem medo de comida de verdade.

E, para celebrar isso, uma linda lasanha… um prato que sempre junta a família e traz conforto. E essa aqui foi feita com os maravilhosos vegetais orgânicos que a Vegus mandou pra mim!

Lasanha de Abóbora e Espinafre

Para 4 pessoas

2 colheres (sopa) manteiga

2 colheres (sopa) farinha de trigo

2 xícaras de leite

1 pitada de noz moscada

1 abóbora média (melhor se encontrar a butternut)

Ramos de tomilho e alecrim (opcional)

Azeite de oliva

Sal

Pimenta do reino

200g de espinafre

200g (aprox.) de massa de lasanha pré-cozida

500g (aprox.) de queijo mozzarella

1 xícara de queijo parmesão ralado

Comece com a abóbora: corte-a em cubos, tempere com azeite de oliva, sal, pimenta e os ramos de tomilho e alecrim e asse até que fique macia (você também pode cortar a abóbora na metade, temperar e levar ao forno, se você não quiser descascar). Enquanto ainda estiver quente, amasse para fazer um purê. Adicione mais sal e pimenta, se necessário.

Agora, o molho branco (bechamel): em uma panela média, derreta a manteiga e adicione a farinha. Usando um batedor manual (fouet), mexa bem, até que esteja lisa e cremosa e comece a dourar (isso é chamado roux e você pode usar para espessar cremes, sopas e molhos). Tire do fogo e adicione o leite, mexendo sem parar. Devolva para fogo baixo e siga mexendo até engrossar (mais ou menos 10 minutos). Tempere com sal, pimenta e noz moscada. Para esta receita, não queremos um molho muito grosso, já que o molho vai ajudar a cozinhar a massa no forno. Quando o molho chegar na consistência correta, apague o fogo e reserve.

Mantenha o forno a 200 graus e monte lasanha: coloque uma camada de bechamel, uma camada de massa, uma de purê de abóbora, uma de espinafre e uma de mozzarella. Repita as camadas até não ter mais ingredientes, terminando com o molho bechamel. Cubra com queijo parmesão e leve ao forno até dourar (10-15 minutos).

Se você quiser, pode fazer a lasanha antes e guardá-la na geladeira, coberta com filme plástico.

Sirva bem quente, com uma boa taça de vinho! E aproveita a comida de verdade!

Um beijo

Renata